segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Galo de Barcelos

Pin adquirido numa das lojas de recordações da Covilhã.

O Galo de Barcelos é uma figura do artesanato português que se tornou símbolo da região de Barcelos, bem como de Portugal. 

Tradicionalmente é decorado com corações vermelhos, pintas e flores de várias cores, distribuídas num fundo preto. A sua pomposa crista vermelha moldada de forma circular, a sua cauda vistosa, o seu bico amarelos e os seus olhos vermelhos e circulares, tornam-no inconfundível.

O mistério da sua origem e a carga lendária a ele associada, tornam-no num dos grandes embaixadores do artesanato português.





Reza a lenda que tinha-se cometido um crime em Barcelos e o criminoso não tinha sido encontrado. Aconteceu passar pela tera um galego a caminho de Santiago de Compostela. Como era um estranho a passar naquele momento, apontaram-no como sendo o culpado. O galego negou, mas de nada lhe valeu o que disse a favor da sua inocência. 

Assim, foi condenado à forca, mas como todos os condenados a tal punição, era dito que podiam fazer um último pedido. O galego pediu para falar com o Juiz. Pedido aceite, o galego foi levado à presença do Juiz. Nessa altura, o Juiz banqueteava com amigos, e assim que chegou à presença do magistrado, mais uma vez afirmou estar inocente e apontando para um galo assado que estava sobre a mesa disse: " É tão certo eu estar inocente, como certo é este galo cantar quando me enforcarem".

Ignorando o apelo do condenado, o Juiz ordenou que o levassem para a forca. Quando o condenado estava a ser enforcado, o galo assado ergueu-se da mesa e cantou. Imediatamente, o Juiz compreendendo o seu erro, soltou o pobre homem que seguiu o seu caminho em paz.
Alguns anos depois, o galego voltou a Barcelos para esculpir o "Cruzeiro do Senhor do Galo" que representa o galo presidindo a uma cena em que São Tiago, com o seu braço esquerdo parece sustentar um homem que está quase a ser enforcado, evitando a sua morte.


















Sem comentários:

Enviar um comentário