segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Sé Velha (Coimbra)

 

Pin adquirido através de uma compra numa loja de recordações em Coimbra.

A Sé Velha localizada em Coimbra constitui um dos edifícios em estilo românico mais importantes do país. A sua construção começou em algum momento depois da Batalha de Ourique (1139), quando Afonso Henriques se declarou rei de Portugal e escolheu Coimbra como capital do reino.

O exterior é robusto, simétrico, com escassas aberturas e coroamento de ameias, com um portal decorado sob clara influência islâmica. Ainda no exterior, há que referir a “Porta Especiosa”, do mestre João de Ruão, com uma elegante decoração renascentista. No interior, destaque especial para o retábulo da capela-mor, em gótico flamejante, executado pelos escultores flamengos Olivier de Gand e Jean d’Ypres. De mencionar ainda o claustro, iniciado em 1218, a primeira experiência gótica em Portugal.

Nas festas e tradições Académicas, a Sé Velha é símbolo de um dos     momentos mais importantes no percurso de qualquer estudante de Coimbra. É na escadaria desta igreja que se realiza, todos os anos, a   emblemática serenata monumental que marca o início da Queima das     Fitas. Nessa noite, ao soarem as doze badaladas, os estudantes, trajados, alinham num coro de silêncio para escutar o Fado. Para uns, a primeira vez que trajam de negro, marca o início de uma longa caminhada; para outros é hora da despedida e de levar com eles todas as vivências e aprendizagens que a cidade lhes proporcionou.



Rainha Santa Isabel (Coimbra)

 

Pin adquirido através de uma compra.

Isabel de Aragão, mais conhecida como a "Rainha Santa", é a padroeira da cidade de Coimbra e em sua honra todos os anos se comemoram as Festas da Cidade. De dois em dois anos, em anos pares, realiza-se a procissão noturna penitencial na quinta-feira, na qual a imagem da Rainha Santa é transportada em braços até à Igreja de Santa Cruz, donde regressa no domingo seguinte, em procissão solene.

O dia da sua morte, 4 de Julho, é também o dia da cidade e, simultaneamente, feriado municipal. Em Julho de 2016, por ocasião dos 500 anos da beatificação da Rainha, o seu túmulo esteve aberto e a sua mão exposta para veneração dos crentes.

Figura religiosa, empreendedora e altruísta, D. Isabel de Aragão transformou a vida social, religiosa e até política da cidade de Coimbra na época. A sua família, descendente de cátaros, autorizou o casamento por procuração com El-Rei D. Dinis, quando tinha apenas 11 anos de idade. Depois de Rainha, veio viver para Coimbra, em 1282, onde viria a protagonizar o célebre "Milagre das Rosas".





segunda-feira, 12 de julho de 2021

Serra da Estrela

 

Pins adquiridos através de uma compra nas lojas de recordações da Torre na Serra da Estrela.

Se quiserem saber mais sobre a Serra da Estrela visitem o meu post: 

https://pinscollection123.blogspot.com/2016/11/serra-da-estrela.html

Região de Trás-os-Montes


 Pin adquirido através de uma compra.

A região de Trás os Montes e Alto Douro está localizada na região norte de Portugal. É conhecida como Terra Altas e o inverno é rigoroso nessa região portuguesa. O nome Trás os Montes foi nomeado devido a sua localização: atrás das montanhas do Marão e Alvão, que ficam ao norte do rio Douro.Desse modo, Trás os Montes e Alto Douro é uma província de Portugal que faz fronteira com o Minho e o Douro.

A região de Trás-os-Montes e Alto Douro é habitada desde a pré-história e possui um vasto património arquitectónico e cultural. (Re)Descubra as minas de ouro de Três minas; as estâncias termais do Alto Tâmega; as gravuras e pinturas rupestres; as igrejas e pontes de vários estilos arquitectónicos; os solares; os conventos e castelos; as Quintas do Vale do Douro; as cidades e os seus centros históricos e museus; as aldeias comunitárias de Rio de Onor e Pitões das Júnias.

É nesta região que se produz o famoso vinho do Porto, os vinhos do Douro, o azeite e o mel. Aqui se cultivam a amêndoa, a maçã, a cereja, a castanha, a batata, os cereais e os cogumelos. Aqui se confeccionam os típicos enchidos, a posta maronesa, mirandesa e barrosã, os folares, as bolas e diversos doces conventuais. Os rios da região são ricos em truta, escalo e barbo e a natureza é generosa em espécies cinegéticas – coelho, lebre, javali, raposa, tordo, perdiz, pombo e rola.

Viva as tradições: vista-se de careto, desfrute de um passeio de burro, aprenda a falar mirandês, dance com os pauliteiros, participe nas vindimas e inspire-se nas obras de Miguel Torga, Guerra Junqueiro, Trindade Coelho e Camilo Castelo Branco.






terça-feira, 6 de julho de 2021

Região da Beira Litoral

 

Pin adquirido através de uma compra.

A Beira Litoral é uma antiga província portuguesa, formalmente instituída pela reforma administrativa de 1936. Seu território correspondia, em sua maior parte, ao da antiga Província do Douro desaparecida no séc. XIX, e fez mais tarde parte da Província da Beira.

Hoje, a Beira Litoral faz parte da Região do Centro de Portugal, fazendo fronteira a Norte com o Douro Litoral, a Leste com a Beira Interior e a Sul com o Ribatejo e a Estremadura. A Oeste a região é banhada pelo Oceano Atlântico. As principais cidades da Beira Litoral são Coimbra , Figueira da Foz e Aveiro .


Coimbra é famosa pela histórica Universidade de Coimbra , vários museus requintados e as suas duas catedrais, Sé Velha e Se Nova , bem como pelos vestígios romanos de  Conimbriga , a uma curta distância a sul da cidade.

A Figueira da Foz reivindica a maior praia da Europa e é ao mesmo tempo um porto em atividade e uma estância de férias de verão. As ondas do Atlântico atraem surfistas ao longo do ano e seu cassino um tipo diferente de high roller. Apesar de não ser a cidade mais bonita de Portugal, a Figueira da Foz possui um agradável Jardim Municipal e o interessante Museu Municipal Dr. Santos Rocha. O subúrbio de Buarcos ao norte do centro é a parte mais bonita da cidade e o lugar certo para encontrar restaurantes de peixe à beira-mar.

Aveiro é uma vila de canais e bonitas pontes. Situa-se numa grande lagoa e zona húmida a sul do Porto na foz do Rio Vouga. Existem duas praias a sul ao longo da costa e vários museus na cidade, incluindo o notável Museu de Aveiro.

A Beira Litoral possui uma variedade e rica gastronomia, desde o Leitão da Bairrada, então quando saboreada com um bom vinho espumante da Mealhada, a chanfana de borrego, a caldeirada de enguias, os ovos moles de Aveiro, pastel de Santa Clara, pão de ló de Ovar, pastel de Tentúgal, ... .


quinta-feira, 1 de julho de 2021

Região do Minho

 

Pin adquirido através de uma compra.

O Minho é a região mais antiga de Portugal, no Norte de Portugal, que estava inserida na antiga região Entre Douro e compreendida pelo Baixo Minho e Alto Minho. Limitada a norte e nordeste pela Galiza, Espanha (pelas províncias de Pontevedra e Ourense, respetivamente), a leste por Trás-os-Montes e Alto Douro, a sul pelo Douro Litoral e a oeste pelo Oceano Atlântico. Constituída por 23 concelhos, integrando a totalidade dos distritos de Braga e Viana do Castelo. 

Apesar de ser uma das regiões mais chuvosas da Europa, o Minho é famoso pelas trilhas e atividades ao ar livre. É uma região montanhosa, em forma de anfiteatro, para o mar entre as serras do Gerês, Marão e Montemuro, que fazem uma fronteira natural para as outras regiões. É lá que se localiza o Parque Nacional da Peneda-Gerês, classificada pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera,  com os seus tons de verde, a sua vegetação exuberante que inclui uma floresta de azevinho e espécies como o lírio do Gerês, que alegra os campos com os seus tons de azul-violeta.

Na sua gastronomia, estão presentes muitas delicias, tais como o caldo verde, a broa, o cordeiro assado no forno, os rojões, o cozido á portuguesa, várias receitas de bacalhau,  o arroz de pato, e nos doces destacam-se os mexidos, as cavacas e a aletria. O Minho também é uma região demarcada pelos vinhos verdes, berço da carismática casta Alvarinho. O Vinho Verde é um vinho frutado, ótimo como aperitivo ou em harmonização com refeições leves e equilibradas




quarta-feira, 30 de junho de 2021

Região do Algarve

 

Pin adquirido através de uma compra.

O Algarve é a região mais a Sul de Portugal Continental, fazendo fronteira com a região do Alentejo, a norte e a sul com o Oceano Atlântico. Devido à sua extensa costa, de grande beleza, com mares navegáveis, areia fina e dourada, é, por excelência, a região turística do país, contando igualmente com um vasto património histórico, cultural e artístico.

 O Algarve foi a última região a ser conquistada aos Mouros e a fazer parte do Reino de Portugal, em 1292, e as suas influências são visíveis por toda a região. A arquitetura típica do Algarve, com terraços e chaminés tipicamente Mouriscos, as amendoeiras, laranjeiras e outras árvores de fruto que pelos campos algarvios se multiplicam, são também heranças mouras que se fincaram na região durante os séculos.


A proximidade com o norte de África faz-se sentir no tempo mais quente e agradável, e as serras situadas no norte da região abrigam a costa algarvia dos fortes ventos, fazendo desta região ponto privilegiado de férias, tendo sofrido um grande desenvolvimento turístico nas últimas décadas, dispondo hoje em dia das mais variadas infra-estruturas, e serviços para todos os gostos e bolsos.

A Gastronomia Algarvia baseia-se em antigas tradições e produtos, não obstante, a oferta de Restauração é muito variada e internacional, de modo a ir ao encontro de todas as culturas e nacionalidades que a visitam. Nos produtos tradicionais, destacam-se todos os pratos de peixe e marisco desta saborosa costa, mas igualmente carnes de porco (a conhecida “Carne de Porco à Algarvia), cozidos de grão e de couve, e pastelaria baseada sobretudo em ovos e frutos secos, como a amêndoa ou o figo, com os seus tão conhecidos D. Rodrigo, ou os pastéis de gema de ovos, de massa de amêndoa e de caramelo de Tavira.




quarta-feira, 16 de junho de 2021

sexta-feira, 11 de junho de 2021

Campanha “a hipertensão não pode usar máscara”

 

Crachá adquirido através de uma oferta.

Comemorou-se dia 17 de maio, o Dia Mundial da Hipertensão, que tem como objetivo divulgar a importância da prevenção, da deteção e do tratamento da hipertensão.

Para assinalar a data, a Sociedade Portuguesa de Hipertensão e as Farmácias Portuguesas lançaram hoje a campanha de sensibilização «A Hipertensão não pode usar Máscara», que tem como objetivo levar os portugueses a medir a sua tensão arterial.

A hipertensão é a principal causa de doença cardiovascular e de morte prematura em todo o mundo.A prevalência da hipertensão em Portugal em 2013 é de 26.9%, sendo mais elevada no sexo feminino (29,5%) do que no masculino (23,9%), segundo o estudo “A Hipertensão Arterial em Portugal 2013”. A HTA é definida como valores de pressão arterial sistólica (PAS) e pressão arterial diastólica (PAD) que se situam, de forma recorrente, acima dos 140 e/ou 90 mmHg, respetivamente.

Quando os valores de pressão arterial estão alterados, é importante saber se o utente toma alguma medicação e se está a cumprir o regime posológico, e ainda reforçar a adoção de medidas não farmacológicas, nomeadamente, a adoção de uma dieta saudável e variada, rica em frutas, vegetais e pobre em gordura, prática regular de exercício físico, manutenção de peso normal (IMC: 18,5-24,9), restrição do consumo excessivo de álcool, diminuição do consumo de sal e cessação tabágica.




sábado, 22 de maio de 2021

Bombeiros Voluntários de Vizela

                                                  
Pin adquirido através de uma compra aos Bombeiros Voluntários de Vizela.                                                                                                                                                            Foi em Junho de 1865, numa pequena bomba com quatro membros ,onde provisoriamente se iniciou a Associação dos Bombeiros Voluntários de Vizela.                                                                                                                                 No entanto, um incêndio ocorrido a vinte e três de abril de 1877 salienta a urgência da criação da corporação.Assim,  a 8 de maio de 1877 é fundada a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela e inaugurado o seu quartel. A corporação, composta por 30 homens devidamente uniformizados e equipados e liderados por Armindo Pereira da Costa, 1º comandante e Joaquim António da Silva, 2º comandante, apresenta-se à população num desfile pelas ruas de Vizela.








                                                           
                                
 
 


domingo, 11 de abril de 2021

sábado, 27 de março de 2021

Desconcertuna - Tuna da Faculdade de Psiclogia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra

 

Crachá adquirido através de uma compra á Tuna Desconcertuna - Tuna da Faculdade de Psiclogia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCE)

A Desconcertuna foi fundada em 2007  num jantar saudoso de amigos, quando duas estudantes de Psicologia do 4.º ano, entre uma viola e o delicioso licor académico, sentiram o tempo a apertar. Dessa conversa saiu uma ideia, uma vontade. A história vai ficando difusa, muitos nem chegam a conhecer verdadeiramente o espírito de ser estudante de Coimbra. E se a música pode contribuir para mudar a ligação a esta cidade, o envolvimento nesta academia centenária, porque não lutar pela ideia arrojada e difícil de criar uma Tuna na FPCE? E assim foi.


Primeiro escreveram um anúncio para chamar estudantes para a tuna e afixaram por toda a Faculdade. Depois mandaram e-mails a todas as lojas de música à espera de um patrocínio. Procuraram informações sobre a fundação da tuna, pediram donativos. Durante este primeiro tempo sentiram aquele friozinho na barriga: a ansiedade de respostas, o medo de não conseguir, o desejo de ser possível… Aos poucos e poucos as pessoas foram aparecendo e uma das lojas de música respondeu que de bom grado ofereceu um patrocínio!

Desconcertuna porque são rebeldes, querem marcar a diferença, não querendo ser "mais uma tuna". Querem trazer a novidade, fazer renascer os amantes eternos dos segredos e dos amores de Coimbra






domingo, 21 de março de 2021

Troca com Juan Guirado Ramon

 



Pins adquiridos através da troca com o colecionador Juan Guirado Ramón.

Tuna Maria - Tuna Feminina da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

 

Pin gentilmente oferecido pela Tuna Maria - Tuna Feminina da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

A TunaMaria, foi fundada em 1994, com o objetivo de incutir nos colegas o espírito académico e proporcionar aos seus elementos uma agradável passagem pela faculdade, fugindo à rotina das aulas e ao "stress" dos exames. Fomentando um companheirismo muito próprio, junta o útil ao agradável, divulgando o nome da faculdade, através de bons momentos musicais.

A TunaMaria já percorreu Portugal de norte a sul. Entre as várias actividades e actuações efectuadas em diversos eventos, destacam-se Festivais e Encontros de Tunas realizados em Évora, Estremoz, Lisboa, Oeiras, Santarém, Entroncamento, Abrantes, Coimbra, Aveiro, Porto e Braga.







domingo, 7 de março de 2021

Tuna Feminina do Politécnico do Cávado e do Ave


 Pins e emblema gentilmente oferecidos pela Tuna Feminina do Politécnico do Cávado e do Ave (TFIPCA). 

A Tuna Feminina do IPCA foi fundada a 6 de Junho de 2002 , por um grupo de estudantes do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.

Devido á sua grande força de vontade e gosto particular pela música e pela vida académica, a TFIPCA foi criada com base em valores como a solidariedade, não só entre os elementos pertencentes ao grupo, como também para com a sociedade em geral.

 É com grande sentido de responsabilidade que a Tuna leva o nome da sua academia a tantos pontos do país , mas é com grande orgulho que o faz, contando já com uma vasta coleção de prémios, convites e atuações. Anualmente, a TFIPCA organiza dois grandes eventos, o IPCA Solidário, uma noite de espetáculo que junta todos os grupos académicos da academia, em prol de uma causa solidária; e o Capas Traçadas - Festival de Tunas Femininas da Cidade de Barcelos.
















sábado, 13 de fevereiro de 2021

Município de Cantanhede


 Pin e porta - chave gentilmente oferecidos pelo Município de Cantanhede.

Cantanhede é uma cidade que pertence ao distrito de Coimbra, e localiza-se no centro de um triângulo geográfico de especial relevância económica, tendo como vértices as cidades de Coimbra, Aveiro e Figueira da Foz.

Quem visita Cantanhede pode desfrutar de um vasto leque de experiências. desde o contacto com uma natureza estimulante pela sua riqueza e diversidade ou com uma realidade sociocultural unificada em torno de referências e de valores patrimoniais que consubstanciam as vivências peculiares das três regiões naturais que constituem o território: a Gândara, situada junto ao mar; a Bairrada, no interior, onde as estações do ano se contam pelo ciclo vegetativo das videiras; e o Baixo Mondego, a sul, num vale contíguo às pedreiras da famosa pedra de Ançã tão apreciada pelos mais proeminentes escultores dos séculos XV e XVI.

A Praia da Tocha é uma zona balnear de excelência, com um areal dourado, onde as atividades de lazer decorrem num ambiente tranquilo, com vista para as redes dos pescadores e os barcos típicos da Arte Xávega. Esta realidade convive de perto com zonas dedicadas à prática de desportos náuticos, designadamente surf, bodyboard e paddle.

Integrando a Região da Bairrada, toda a paisagem da zona nascente do território do concelho de Cantanhede é marcada por vinhedos. A exclusividade das características geomorfológicas dos solos e a influência do clima no ciclo vegetativo das castas autóctones dominantes, com destaque para a Baga, estão na origem da excelência de vinhos a que os melhores enólogos atribuem qualidade ímpar.




segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Pins cursos e turismo do Porto


 Pins adquiridos na loja Toga em Viseu

Município de Vendas Novas


 Pin gentilmente oferecido pelo Município de Vendas Novas.

Vendas Novas é uma cidade que pertence ao distrito de Évora, conhecida pela concorrida estrada nacional que a atravessa, outrora caminho de vários reis, e posteriormente do tráfego que rumava de Lisboa para sul com destino a Espanha ou Évora.

A cidade orgulha-se do seu marcado desenvolvimento e dos seus monumentos, como o antigo Palácio Real já referido onde hoje em dia está instalada a Escola Prática de Artilharia, com Museu interior e ao ar livre, tendo ao longo dos anos tempos servido também de aquartelamento de cavalaria, telégrafo e hospital improvisado para combater a febre amarela.

Vendas Novas orgulha-se igualmente do bonito Palácio e Capela do Vidigal do século XIX com uma Praça de Touros; das Igrejas de Santo António do Outeiro e de Nossa Senhora da Nazaré (do século XV); as Capelas do Monte Velho da Ajuda, a Real (junto ao Palácio), a de São Pedro ou a próxima Igreja São Domingos Sávio. Merece também destaque o Jardim Municipal, de grande beleza, onde se podem desfrutar agradáveis momentos de lazer.



domingo, 3 de janeiro de 2021

Município de Vinhais

 

Pins gentilmente oferecidos pelo Município de Vinhais.

Vinhais é uma vila que pertence ao distrito de Bragança, situada numa zona plana na margem esquerda do ribeiro das Trutas, rodeada de outeiros e com a bonita Serra da Coroa a envolvê-la.

Esta é uma região com vestígios arqueológicos de antiga ocupação humana, onde se podem encontrar inscrições e gravuras rupestres e vários Castros, aparecendo referenciado no século XIII, como região, onde terão passado diversas civilizações, como a Romana, passando por aqui uma importante estrada militar que ligava Braga a Astorga. Suevos, Visigodos e Mouros por aqui passaram, tendo sido Vinhais repovoada na época da dominação dos reis de Castela e Leão.

Vale a pena conhecer o património histórico, arquitectónico, social e natural da região de Vinhais, que conta com monumentos tais como o Castelo, o Convento de São Francisco, a Igreja de São Facundo, de traça românica, o Pelourinho Manuelino, reconstruído já no século XX, ou o típico edifício que albergava os Paços do Concelho.




Confraria Marinha da Ria Formosa

 

Pin gentilmente oferecido pela Confraria Marinha da Ria Formosa.

A Confraria Marinha da Ria Formosa foi fundada a 15 de Outubro de 2018 e constitui-se como um forte defensor e decisivo pólo promotor das potencialidades gastronómicas, ambientais, históricas e económicas da Ria Formosa e tem como princípios contribuir para o levantamento, defesa, promoção e divulgação do património da Ria Formosa e cooperar, com outras Confrarias e organismos públicos ou privados, em todas as ações que tenham como objetivo a sustentabilidade da Ria Formosa, a Gastronomia Portuguesa e a defesa da sua identidade e tradição.


Esta confraria tem como elementos identitários os seguintes: CAPA em tecido azul-escuro que simboliza as águas da RIA FORMOSA, com capuz castanho cor das areias finas das margens. Contem fita ondulante branca ladeada por duas azuis que simbolizam as ondas que em movimentos oscilantes banham a areia doirada. ESCAPULÁRIO que é composto em cortiça gravada com o mui nobre símbolo da CONFRARIA MARINHA DA RIA FORMOSA, segurada por uma fita de seda verde que simboliza os elementos vegetais do fundo da RIA FORMOSA.




sábado, 19 de dezembro de 2020

C'a Tuna aos Saltos - Tuna Médica Feminina da UBI

 

Pin gentilmente oferecido pela Tuna C'a Tuna aos Saltos - Tuna Médica Feminina da UBI.

A C'a Tuna aos Saltos - Tuna Médica Feminina da UBI foi criada a 9 de Maio de 2009 composta por elementos da Faculdade de Ciências da Saúde e conta já com representações em vários pontos do país!

Esta  tuna faz da amizade, diversão e do amor pela música o seu grande lema, representando os cursos de Saúde da Universidade da Beira Interior (Medicina, Ciências Farmacêuticas, Ciências Biomédicas e Optometria) e fomentando o espírito académico, a boa música, o amor pela terra que tão bem acolhe e uma amizade incondicional que marca o percurso universitário.

Em 2011, depois de inúmeras atuações em diferentes palcos, organizaram o I Medicalis - Festival de Tunas Femininas da Universidade da Beira Interior, um projeto que se dedicam anualmente, e já conta com sete edições.









Freguesia do Mezio

 

Pin adquirido através de uma compra.

Mezio é uma freguesia do conselho de Castro Daire, situada na encosta da serra do Montemuro.

Por aqui passa um percurso pedestre longo - Caminho de Santiago - do qual é possível percorrer apenas uma parte, e assim conhecer a parte mais serrana e verde desta localidade. Pode também  apreciar os diversos moinhos que se encontram na aldeia.

 No património religioso, visite a Igreja Matriz, a Capela da Senhora das Antas, o Cruzeiro do Senhor do Bom Fim e o Cruzeiro do Senhor dos Aflitos. O artesanato e o prato mais típico de Mezio são os atrativos mais conhecidos da aldeia. Não pode deixar de provar o afamado arroz de feijão com salpicão. Aqui também pode degustar outros produtos típicos locais como os enchidos e o presunto, o cabrito assado no forno, o arroz doce, o pão padeira ou a broa de milho. 






sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Tunídeos - Tuna Masculina da Universidade dos Açores

 

Pins adquiridos através de uma compra à Tuna Tunídeos - Tuna Masculina da Universidade dos Açores.

A Tuna Tunídeos - Tuna Masculina da Universidade dos Açores, foi fundada em Julho de 1994 e desde logo se iniciaram as sobre humanas provas de selecção dos elementos que no dia 25 de Novembro de 1994 se estrearam no bar da Universidade dos Açores.

 Para alem da intima relação com o bar, os Tunídeos desde logo granjearam notável reputação com as suas serenatas ou como alguns as denominam “sessões de caça à lingerie”. 

Demonstrando uma veia criativa muito notável os Tunídeos compuseram num espaço de tempo relativamente curto os temas que viriam a constituir o primeiro registo do grupo “Cardume á solta na fisgadela”, um CD gravado em 1997. Já em 2002 saiu mais um registo sonoro “...ao vivo e entalado”! Oooops, “...ao vivo e enlatado”! Contudo estes registos serão apenas aperitivos para todos aqueles que tiverem a possibilidade de presenciar uma actuação desta tuna um repertório totalmente original aliado a penteados, baseados no traje típico Açoreano do séc. XII fazem com que esta seja uma tuna totalmente diferente (desde pneus, suspensões e tudo).

Um marco importante na história desta tuna foi a realização do festival “El Açor” (cuja primeira edição decorreu em 2000) um objectivo que os Tunídeos desde sempre almejaram. A terceira e quarta edições deste festival deram origem ao primeiro CD El Açor, cujo lançamento teve lugar a 11 de Março de 2004.








Tuna Templária do Instituto Politécnico de Tomar

 

Crachá gentilmente oferecido pela Tuna Templária do Instituto Politécnico de Tomar.

A Tuna Templária do Instituto Politécnico de Tomar surgiu a 4 de Maio de 2000,sob a  extinta Tasca de Cem Soldos, alimentados na experiência de formações anteriores e no seu forte espírito académico, ousa um grupo de trovadores do Grupo de Serenatas “Os Rosas Negras” na criação da Tuna Templária do Instituto Politécnico de Tomar.

Já transbordam milhares de quilómetros em viagens por Espanha,França, Malásia e Macau continente e ilhas, entre festivais, representações ou espectáculos de caridade em que as canções de amor e  para amigos são garantia de sorrisos e boa disposição.

 Envoltos pela mágica aura de uma cidade historicamente abençoada por raízes Templárias, é fiel representante às suas próprias raízes numa busca pela permanente dignificação da marca Tomar e do Instituto que representa. Três CD’s lançados, o festival Templário – Festival internacional de Tunas da Cidade de Tomar correndo para a sua XVI edição, o apadrinhamento da ESTAtuna de Abrantes e o Hermanamiento com a Tuna de Veteranos De La Coruña e com a Tuna Universitária UNED de Ponferrada, as viagens à Madeira, Açores, Paris, Malaca e a Macau destacam-se entre tantos momentos que tornam o SER DA TEMPLÁRIA, um orgulho.








terça-feira, 1 de dezembro de 2020

TransmonTuna - Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro


Pin gentilmente oferecido pela TransmonTuna - Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro.

 A TransmonTuna - Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro, foi fundada a 17 de Abril de 1998, quando seis estudantes da Mui Nobre Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, partilhando o gosto pela música, o trovadorismo e a cultura tuneril, se reuniram para fundar a Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro - Transmontuna. Logo aí decidiram que a mesma seria uma instituição plenamente autónoma, ainda que ligada afectivamente à bela cidade de Vila Real, à sua academia e às suas gentes, cujo nome almejaram levar mais alto e mais longe do que até então outro grupo tivera feito. 


A Transmontuna teve já o privilégio de tocar nos mais emblemáticos palcos nacionais, rumar aos arquipélagos da Madeira e dos Açores, trovar por terras de Espanha e até levar a sua música a locais tão distantes como o Brasil. É, contudo, tocando em Vila Real e para a sua academia, em ações de beneficência ou sob o parapeito de uma convidativa janela que se sentem mais em sintonia com a sua verdadeira natureza e vocação.

Em 2002 realizam a primeira edição do Festa Ibérica - Festival Internacional de Tunas Universitárias, que tem hoje um lugar de destaque entre os melhores certames nacionais. É também nesse ano que, fruto de uma sincera e fraterna amizade, se irmanam com os Tunídeos Tuna Masculina da Universidade dos Açores.






Tuna Académica da Universidade de Coimbra

 

Pins gentilmente oferecidos pela Tuna Académica da Universidade de Coimbra. 

A Tuna Académica da Universidade de Coimbra (TUNA),  foi fundada em 1888, com o nome "Estudantina Académica de Coimbra", só a partir de 1898 é que adotou o nome atual.

Desde sempre vocacionada para o estudo e divulgação da música e  perseguindo esse objetivo mantém atualmente em atividade 3 grupos musicais (Orquestra, Big Band Rags e grupo de Fados de Coimbra).

A Orquestra da TAUC é o único grupo da TAUC que tem tido atividade ininterrupta desde a sua fundação em 1888. Inspirado no modelo das tunas tradicionais portuguesas, consiste numa pequena orquestra que junta instrumentos clássicos a instrumentos normalmente associados à música tradicional portuguesa, como a guitarra clássica e o bandolim. O seu repertório inclui música clássica, música ligeira e música da tradição coimbrã, como baladas e fado de Coimbra.

A Big Band Rags surgiu no seio da TAUC em 1995, consistindo originalmente num grupo de Ragtime com cerca de dez músicos, ao longo dos anos foram-se juntando mais elementos e foi gradualmente surgindo o formato de Big Band, formalizado em 1999, e que se mantém até hoje. Conhecida pelo seu estilo irreverente e pelo entusiasmo em palco, a Big Band Rags hoje dedica-se maioritariamente ao jazz e à música ligeira, incluindo ainda no seu repertório alguns êxitos do funk, soul e da música portuguesa.

Desde a sua fundação até a atualidade, o Fado de Coimbra sempre marcou presença na atividade da TAUC. É desta responsabilizadora tradição de mais de um século de canto e guitarra que o atual Grupo de Fados da TAUC é legítimo herdeiro.

Mais recentemente, fruto do interesse demonstrado por músicos da TAUC em tocar numa formação de câmara mais reduzida, surgiu o Grupo de Metais da TAUC, onde é interpretado repertório eclético que inclui não só música clássica de diversos períodos, mas também temas icónicos da música ligeira.




sábado, 28 de novembro de 2020